A juventude indígena   e a sustentabilidade na moda.

Quantos indígenas estão ocupando o mercado de moda? Quantos você conhece?  O protagonismo indígena no meio criativo, ainda é um reflexo da falta de oportunidades para juventude indígena.  É possível pensar uma moda ética e sustentável sem a pluralidade cultural, racial e identitária no Brasil?

Frequentemente ouvimos dizer que REPRESENTATIVIDADE importa. Mas importa para quem? A ausência dos indígenas nesses espaços, é uma problemática. Muitos jovens sonham em trabalhar com moda e vivenciar novas realidades. Seja no campo econômico, profissional  ou criativo. Mas o que vemos é que o mercado de moda ainda é muito excludente e racista. 

Nesse sentido, a estilista e ativista Dayana  Molina, tem sido uma voz questionadora e pioneira em ativismo na moda brasileira. Refletindo sobre a emergência do Brasil olhar para os originários da terra, criou uma parceria entre a NALIMO + COLETIVO INDÍGENAS MODA BR (o qual é uma das fundadoras e ativistas). Através dessa iniciativa tem visibilizado e proporcionado cursos de capacitação gratuita, oportunidades profissionais e programas de estágios voltado especialmente para comunidade indígena do Brasil e da América Latina. 


Dessa forma, gerando impacto social positivo, empoderando e potencializado jovens indígenas em diferentes contextos; aldeado e urbano. Atualmente, também desenvolve de forma voluntária uma escola de moda decolonial e online (Aldeia Criativa Design do Futuro), para cooperar com o desenvolvimento de novos talentos indígenas no mercado. Queremos fazer muito mais! E você pode se envolver nesse movimento por transformações. 

Quando você escolhe o consumo consciente, faz do mundo um lugar melhor para todos. Um campo rico em possibilidades concretas; onde a esperança ganha força e sonhos são acolhidos. Vale a pena impactar positivamente a vida de pessoas que protegem e amam o planeta. Sem as florestas de pé, não haverão futuros sustentáveis e possíveis. Vidas indígenas importam. 

Para conhecer mais, acompanhe: @oficialnalimo @indigenasmodabr @molina.ela